jusbrasil.com.br
27 de Maio de 2022

STJ: ato infracional justifica manutenção da prisão preventiva

Dr Francisco Teixeira, Advogado
Publicado por Dr Francisco Teixeira
há 4 meses



A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), no AgRg no HC 695.775/SC, decidiu que “o registro de ato infracional praticado pelo agente, inclusive com a notícia de aplicação de medida socioeducativa, constitui fundamento idôneo para a manutenção da custódia cautelar para garantia da ordem pública, com o objetivo de conter a reiteração delitiva”.

Confira a ementa relacionada:

AGRAVO REGIMENTAL NO HABEAS CORPUS. TRÁFICO ILÍCITO DE ENTORPECENTES. PRISÃO PREVENTIVA. REVOGAÇÃO. NÃO CABIMENTO. PREENCHIMENTO DOS REQUISITOS LEGAIS. REGISTRO DE ATOS INFRACIONAIS. INQUÉRITOS POLICIAIS OU AÇÕES PENAIS EM CURSO. RISCO DE REITERAÇÃO DELITIVA. AGRAVO REGIMENTAL DESPROVIDO. 1. A prisão preventiva é cabível mediante decisão fundamentada em dados concretos quando evidenciada a existência de circunstâncias que demonstrem a necessidade da medida extrema, nos termos dos arts. 312, 313 e 315 do Código de Processo Penal. 2. O registro de ato infracional praticado pelo agente, inclusive com a notícia de aplicação de medida socioeducativa, constitui fundamento idôneo para a manutenção da custódia cautelar para garantia da ordem pública, com o objetivo de conter a reiteração delitiva. 3. Inquéritos policiais ou ações penais em curso justificam a imposição de prisão preventiva como forma de evitar a reiteração delitiva e, assim, garantir a ordem pública. 4. Agravo regimental desprovido. (AgRg no HC 695.775/SC, Rel. Ministro JOÃO OTÁVIO DE NORONHA, QUINTA TURMA, julgado em 26/10/2021, DJe 03/11/2021)


Informações relacionadas

Carlos Guilherme Pagiola , Advogado
Notíciashá 4 meses

STJ - Execução Penal - Uso de Celular em Trabalho Externo - Inexistência de Falta Grave - LEP

Moraes Pimentel Advogados, Advogado
Notíciashá 4 meses

STJ entende que condomínios podem impedir locações como Airbnb

AUDIÊNCIA BRASIL, Administrador
Notíciashá 4 meses

Vítimas de violência doméstica podem ser indenizadas

Carlos Guilherme Pagiola , Advogado
Notíciashá 4 meses

STJ - Excesso de Prazo - Prisão Preventiva de 1 ano e 9 meses sem Recebimento da Denúncia

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)